MUITO, MUITO, MUITÍSSIMO OBRIGADA KARDEC!

Kardec, Obrigado

Venho dizer
Obrigado amigo por ter
Desvendado o dom de saber
De onde vim, por que estou aqui
Para onde vou, como ser feliz
Como encontrar Jesus.
Com seu trabalho,
Hoje temos o consolador
Que nos trouxe o Cristo redivivo,
E a nossa fé hoje é raciocinada,
Não há mais nada o que temer,
Apenas caminhar.
A sua luz
Vai brilhar na Terra, porque
A verdade encerra,
E assim digo:
Kardec, obrigado
Pelo Espiritismo.
Por ter renunciado pelo Espiritismo.
E a vida dedicado ao Espiritismo.
Ao Espiritismo

ALLAN KARDEC 1804 – 1869
Hippolyte Leon Denizard Rivail nasceu a 3 de outubro de 18O4 à rue Sala n. 76 em Lyon, na França. Realizou seus primeiros estudos na localidade onde nasceu e em 1814 seus pais enviaram-no para Yverdon, na Suiça, onde ingressou no mais célebre instituto pedagógico de toda a Europa, cujo diretor era Jean Henri Pestalozzi. Tal instituto recebia alunos de todo o continente europeu por empregar princípios pedagógicos revolucionários provendo a criança de bons exemplos, trabalhando seu espirito de observação, inteligência e memória, despertando no educando a motivação pelo estudo, ao contrário de outros educandários que apenas obrigavam as crianças ao estudo metódico sob a vigilância da palmatória. Pestalozzi implantou o regime da “doce severidade”.
Denizard diplomou-se em 1818 deixando o Instituto com excelente preparo intelectual e moral. Em 1824 publica a sua primeira obra: “Curso Prático de Aritmética”. A partir de então a sua produção literária não mais cessaria até a sua morte. Eis como prosseguiu a sua trajetória brilhante: Curso Completo Teórico e Prático de Aritmética; Escola de Primeiro Grau; Plano Proposto para a Melhoria de Educação Pública; Gramática Francesa Clássica de Acordo com um novo Plano; Memória sobre a Instrução Pública; Manual dos Exames para os Certificados de Capacidade; Programa do Cursos Usuais de Física, Química, Astronomia e Fisiologia… (limitamo-nos apenas a citação de algumas obras por não ser este o enfoque específico da abordagem).
A produção de Denizard é muito fértil, versando sobre língua francesa, Geometria, Química. Física, Astronomia, Didática, etc. Homem culto e pesquisador, destacou-se também como profundo conhecedor de lingüística, falando de modo fluente o alemão, o inglês, o italiano, o espanhol e o holandês, afora a sua língua pátria. Em 1835 funda em sua própria residência um Instituto onde passa a lecionar gratuitamente Física, Química, Astronomia e Anatomia Comparada, prolongando tal atividade até 1840. O seu interesse pelo espiritualismo surgiu quando em 182O, ainda jovem, teve contato com a obra de François Mesmer, sobre magnetismo animal. Entretanto a sua conversão se daria ao longo de um ano, 1854 a 1855.
Em 1853 as mesas girantes invadiram a França. Em 1854 Fortier, amigo de Denizard, revelou este fenômeno ao amigo enfatizando que as mesas respondiam a perguntas formuladas. “É necessário resguardar-se do entusiasmo que cega” afirmava Denizard, ao se propor o estudo criterioso dessas manifestações. Em 1855 em encontro com o Sr. Carlotti ouve relatos vibrantes sobre as mesas, resolvendo por assistir a algumas experiências na residência da Sra. Plainemaison, ocasião em que decidiu estudar mais profundamente o assunto.
Em 1856 dedicando-se diuturnamente ao estudo de mensagens mediúnicas que futuramente irão compor a obra “O Livro dos Espíritos”, já se esboçara em contornos marcantes a personalidade do codificador. Era o nascimento de Allan Kardec, pseudônimo que usaria, separando a sua obra acadêmica didático pedagógica da obra espírita que iniciara. Denizard acumulou centenas de escritos que lhes eram enviados de toda a Europa. Pesquisando comparando, revisando, comprovando, qual garimpeiro na bateia da verdade, veio a montar o primeiro volume cujo título “O Livro dos Espíritos”, lançado em 18 de abril de 1857, atraiu a atenção de inúmeros estudiosos da época. A seguir, vieram:
1858 – Instrução Prática sobre as manifestações espíritas; Revista Espírita (fundação).
1859 – O que é o Espiritismo.
1860 – O Livro dos Espíritos – 2a. edição revista e ampliada.
1861 – O Livro dos Médiuns.
1862 – O Espiritismo em sua expressão mais simples; Viagem Espírita; Resposta à margem aos espíritas lioneses por ocasião do ano novo.
1864 – O Evangelho Segundo o Espiritismo; Resumo da lei dos fenômenos espíritas ou primeira iniciação.
1865 – O Céu e o Inferno.
1866 – Coleção de preces espíritas.
1867 – Estudo acerca da poesia medianímica.
1868 – Caracteres da Revelação Espírita; A Gênese.
189O – Obras Póstumas. 
Kardec foi considerado o “bom senso encarnado”. Um homem universal, um cientista e pesquisador emérito que nada fazia sem o exame prévio da pesquisa exaustiva e da comprovação dos fatos. Em plena atividade, aos 65 anos incompletos desencarnou em 31 de março de 1869 deixando enorme lacuna no movimento cientifico, cultural e espírita da França e do mundo. A bandeira do Espiritismo implantada por ele no pavilhão da lógica, flutuando sobre o solo fértil da racionalidade, desde então jamais deixou de tremular para a glória da luz e a vivência da caridade.
Autoria não creditada
*Retirado do site ALLS – Allan Kardec.(http://paginas.terra.com.br/arte/alls/ae_karde.htm
Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s